x

Queremos ajudar sua empresa

Fale conosco

  • Endereço

    CUBO - Alameda Vicente Pinzon, 54 - Vila Olimpia
    São Paulo/SP

  • Redes sociais

Blog

Navegue por nossa trilha do conhecimento e crie novos insights para seu negócio

Planejamento e Controle de Produção
7 de dezembro 2017

PCP (Planejamento e Controle de Produção): o que você precisa saber!

Imagine uma indústria que não tenha processos organizados, definidos e justificados. O layout da planta foi escolhido de modo aleatório, ninguém sabe exatamente o tempo adequado de cada operação e não há um passo a passo claro. É impossível acreditar que um negócio desse tipo possa alcançar o sucesso, certo? É por isso que foi criado o PCP (Planejamento e Controle de Produção).

Trata-se de um processo para ajudar no gerenciamento das atividades de produção. É por meio dele que todos os recursos operacionais serão definidos. O PCP envolve funções de planejamento (o que será produzido e com que recursos), programação (definição de recursos e sequência entre os fluxos) e controle (monitoramento e correção de desvios).

Portanto, o grande objetivo aqui é facilitar as práticas de planejamento e padronização de produtos para criar um fluxo de trabalho visando obter melhores resultados. Dessa forma, com a implementação de um PCP eficiente, a tendência é aumentar a eficiência, reduzir desperdícios e diminuir os gargalos da produção.

 

 

Etapas do Planejamento e Controle de Produção (PCP)

 

O PCP envolve diversas atividades que podem variar de empresa para empresa. Porém, existe uma estrutura de etapas de produção que geralmente estão presente em todas as indústrias:

 

Previsão da Demanda

Basicamente, é estimar o quanto a empresa deve vender para calcular a demanda de produção, materiais e recursos humanos. Trata-se de um planejamento com resultados tanto a curto prazo (quando falamos em questão de estoque, por exemplo), quanto a médio e longo prazo (se analisarmos o desenvolvimento de novos produtos, por exemplo).

 

Planejamento da Capacidade de Produção

Com a previsão de demanda a longo prazo definida, determina-se a necessidade de aumentar ou diminuir a capacidade para atender a demanda. Por exemplo, se a previsão foi de acelerar a produção e desenvolver novos produtos, será necessário adquirir novas matérias-primas e máquinas para cumprir o planejamento.

 

Planejamento Agregado da Produção

É nessa etapa que são definidas as principais estratégias que vão guiar o planejamento da produção. Decisões relacionadas ao volume de produção, contratação (ou demissão) de funcionários, horas extras, contratos com parceiros, etc.

Trata-se de um plano a longo prazo (geralmente anual), onde as informações de demanda e capacidade norteiam a tomada de decisão.

 

Planejamento Mestre da Produção

É a operacionalização das estratégias definidas para curto prazo, em um período definido. Ou seja, nesta fase os recursos são direcionados para produzir a quantidade necessária para cumprir a demanda de um determinado período. Como trata-se de um ciclo menor, os itens e quantidades são delimitados com um grau de detalhamento maior do que no planejamento agregado.

 

Programação Detalhada da Produção

Está relacionada às atividades desenvolvidas diretamente no chão de fábrica. Podemos dividir essa etapa em subcategorias:

 

Administração de Materiais: Planejamento da quantidade exata de materiais, gestão de estoque, definição do número de produtos por lote, entre outras atividades

Sequenciamento das ordens de produção: Definição da sequência de processos buscando maior eficiência das máquinas e minimizando atrasos.

Emissão das ordens de produção: Documentação necessária para iniciar as operações

 

Controle de Produção

É a última etapa do PCP, onde temos o acompanhamento e a mensuração dos processos que foram colocados em prática nas fases anteriores. O objetivo é verificar o desempenho da produção e fazer os ajustes necessários.

A ideia aqui também é acumular os dados e criar uma base maior para tomar decisões futuras e, ao começar um novo ciclo, ter um ponto de partida mais direcionado. Nesse sentido, é importante definir previamente quais serão os indicadores de desempenho que serão analisados.

 

Setores Envolvidos

 

Como você deve ter percebido, o PCP é um processo que permeia diferentes áreas da fábrica. Engenharia, Compras e Estoque talvez sejam os protagonistas, mas é muito importante que outros setores participem das decisões e do planejamento.

Afinal, o PCP deve colaborar para a integração entre as áreas de produção e vendas, equilibrando processos internos (que busquem sempre a eficiência) e externo (que façam a ligação com o mercado).

Dessa forma, o setor de vendas deve participar ativamente do PCP. Até porque, como já dissemos, a previsão da demanda é a primeira etapa desse processo. Esses profissionais também participam de decisões sobre quantidade de produtos e capacidade.

O RH também deve estar envolvido nessa estratégia. Afinal, é necessário determinar quantas pessoas devem trabalhar no projeto para cumprir a demanda. O financeiro entra também, principalmente na parte do balanço de estoque, matéria-prima e produto finalizado, para entender se a empresa caminha na direção certa.

Ou seja, toda fábrica precisa estar conectada e participar do Processo e Controle de Produção.

 

 

A tecnologia no Planejamento e Controle de Produção (PCP)

 

A Indústria tem passado por grandes transformações nos últimos anos. O conceito de Lean Manufacturing, que tem a eficiência como norte, é cada vez mais difundido. Paralelamente, o avanço na tecnologia está promovendo a digitalização completa do setor, o que chamamos de Indústria 4.0.

E o que isso tem a ver com o PCP? Tudo! Hoje a tecnologia é um grande auxílio para construir uma estratégia de planejamento e controle eficiente. Por exemplo, o uso de um software ERP ajuda a organizar os processos de venda, estoque, produção e até na gestão dos colaboradores.

Mas é possível ir além: e se você pudesse ver em tempo real como cada um dos funcionários se movimenta pela planta? Isso já é possível com sistemas de Internet das Coisas como o da Novidá. Por meio de sensores espalhados pela fábrica, é possível monitorar a rota de cada trabalhador e entender quais processos podem ser otimizados.

É possível também usar sensores para gerir o estoque e analisar a movimentação das máquinas ao longo do dia. Isso pode aumentar a eficiência da operação em até 20%. Entenda melhor como nosso sistema de geolocalização pode ajudar seu PCP.

 

Pronto para otimizar seu negócio?

voltar ao topo