x

Queremos ajudar sua empresa

Fale conosco

  • Telefone

    +55 11 4431-8580

  • Endereço

    R. Nicolau Barreto, 26
    São Paulo/SP

  • Redes sociais

Blog

Navegue por nossa trilha do conhecimento e crie novos insights para seu negócio

RFID para indústria
24 de janeiro 2018

RFID para Indústria: essa é a melhor opção?

A tecnologia RFID para indústria (ou radio frequency identification) tem se tornado bastante popular em diversas aplicações. Como o próprio nome diz, ela utiliza sinais de radiofrequência para capturar dados. Para isso, é necessário dois componentes: uma tag com chip e um leitor com antena. Quando aproximamos esses dois elementos, o campo eletromagnético do leitor identifica informações daquele chip.

 

Dessa forma, alguns processos internos da fábrica podem ser automatizados e melhor controlados.  Por exemplo, as etiquetas (tags), podem ser colocadas em caixas ou pallets e, por meio de portais de leitura, é possível gerenciar em tempo real a movimentação desses objetos.

 

Na indústria automotiva, onde existe uma linha de produção muito bem definida, os leitores podem ser colocados em locais estratégicos e, dessa forma, o gestor da fábrica consegue acompanhar cada etapa e melhorar a otimização de processos industriais. Já em fábricas de alimentos, por exemplo, o RFID ganha destaque justamente por não precisar da interferência humana e, assim, garantir maior higiene e controle de qualidade.

 

 

Pontos negativos do RFID para Indústria

 

Não há dúvidas que o RFID tem grande valia e pode cair como uma luva em algumas aplicações. Hoje há cases de sucesso de grandes fabricantes, como é o caso da Honda, por exemplo. Porém, como qualquer solução, o RFID também tem algumas limitações que precisam ser pontuadas para melhor entendimento.

 

Por se tratar de um sinal de radiofrequência, as tags sofrem grande interferência quando acopladas em superfícies de metal. Como essa é uma realidade comum na indústria, pode ser um problema dependendo do que se deseja monitorar.

 

Outra característica do RFID é que o sinal emitido é unidirecional. Embora não seja necessário existir um “contato visual” entre o leitor e a tag, para a tag ser reconhecida ela precisa passar na direção exata que o leitor está apontando. Dessa forma, é inviável fazer um monitoramento completo dos ativos em toda a planta. O que se tem é uma solução que identifica quando o objeto monitorado passou por determinada região.

 

Por fim, o último ponto a se destacar é o preço de uma solução RFID. As etiquetas são baratas, descartáveis e ideais para monitoramento de ativos sem grande valor. Porém, as antenas que fazem a leitura exigem um investimento alto, principalmente se a operação for complexa e exigir a implementação de vários portais.

 

 

Beacons como alternativa

 

Mas se o seu negócio se esbarra em alguma das limitações do RFID, isso não significa que você não possa usar um sistema de localização em tempo real. Uma outra opção são os beacons, pequenos dispositivos que emitem sinal bluetooth. Eles fazem o papel da tag, sendo acoplados a objetos ou até pessoas (na forma de crachás, por exemplo). Sensores distribuídos em todo ambiente recebem esse sinal e conseguem definir com um raio de precisão de até 3m aonde está o recurso monitorado.

 

Os beacons podem ser instalados mesmo em superfície de metal e o sinal bluetooth é omnidirecional, ou seja, os sensores identificam a localização em tempo real de toda área monitorada, sem a necessidade do recurso passar exatamente na frente de um sensor, por exemplo.

 

Por um lado, os beacons são bem mais caros que as etiquetas RFID, o que impede que essa solução seja usada para monitorar ativos de pouco valor. Contudo, como a a tecnologia não exige a instalação de portais receptores, a solução como um todo tende a ficar até 5 vezes mais barata que uma operação de RFID

 

 

Afinal, o que vale mais a pena?

 

A grande resposta é: depende do seu negócio e de seus objetivos. Se você precisa monitorar recursos com altíssima precisão, tem uma linha de produção com rota bem definida ou ainda quer rastrear recursos que não possuem um alto valor agregado, o RFID talvez seja a tecnologia adequada para você.

 

Já a solução com beacons pode ser a melhor opção se você precisa mapear operações complexas com grandes movimentações, se quer rastrear ativos de grande valor agregado ou ainda se está procurando um melhor custo/benefício.

 

Fato é que se você está em busca de monitoramento de processos em um ambiente fechado, converse com a Novidá. Teremos maior prazer de entender as dores do seu negócio, ajudar a endereçar seu problema e indicar a tecnologia mais adequada.

 

 

Pronto para otimizar seu negócio?

voltar ao topo